quarta-feira, 13 de março de 2013

Porque retirei a película dos vidros do meu carro

Amigos,

Em 2012, depois de nove anos, comprei um carro zero. A concessionária, sem eu solicitar ou autorizar, me "presenteou" com a aplicação de película escurecedora nos vidros laterais e traseiros, conhecida popularmente por insulfilm, por esta ser a marca mais conhecida.

Meus carros anteriores não possuíram película nos vidros, mas confesso que era apenas uma questão de gosto. Nunca apreciei aquela estética digamos, "vida loka", que os vidros escurecidos me despertavam.

Segundo o vendedor, trata-se de praxe na concessionária, tal qual presentear o comprador com tapetes, ou chaveiros. Me pareceu estranho, pois é um acessório que influi diretamente nas condições de visibilidade e deveria haver uma consulta prévia ao comprador, mesmo tratando-se de um brinde.

O vendedor foi mais longe: disse que instalou uma "mais clarinha" e que era questão de eu me acostumar, pois todos gostam Como assim? Me acostumar com uma condição de visibilidade pior? Mantive os vidros escurecidos e comecei a pesquisar e observar os demais carros e motoristas.

Aqui, no interior do estado do Rio de janeiro, me parece que cerca de 60% dos carros que vejo na rua possuem a tal película. Na capital os vidros escuros estão em praticamente toda a frota, inclusive taxis.

Taxi vazio ou ocupado? - Foto: www.zap.com.br
Fui pesquisar, com alguns conhecidos, o porquê da instalação da película. Todos foram unânimes em afirmar que a película serve para a) proteger o interior do carro dos efeitos do sol e b) por "segurança". Porém, acredito que o principal motivo é estético.

Quanto a proteção dos efeitos do sol, confesso que ainda não formei opinião. Algumas fábricas informam que seus vidros verdes possuem proteção contra raios UV, mas não tenho certeza se todos os veículos à venda hoje possuem essa proteção. E ainda temos o caso dos carros mais antigos. Eu mesmo tive um Fiat Uno S 1990 com vidros "brancos".

Agora, segurança neste caso é um conceito subjetivo, pois uma breve pesquisa sobre o assunto revelará que os especialistas em segurança divergem sobre o fato de se estar mais ou menos seguro em um veículo em que não se vê o interior, existe a questão da visibilidade. Dirigir um desses carros à noite ou dentro de uma garagem escura não me parece seguro. São inúmeros os casos na imprensa em que ações policiais não perceberam reféns em carros com bandidos, com resultados trágicos.

Num dia de sol, o efeito também não é bom: experimente ficar tirando e colocando um óculos de sol. Sua visão vai demorar longos segundos para se acostumar às diferentes condições de luz. Alguns segundos de ofuscamento podem ser fatais num carro a 110 km/h. E é justamente isso que acontece quando alternamos a visão entre a os vidros laterais escuros e o parabrisa claro. E a questão da visibilidade, para mim, é fundamental.

E o que a lei diz a respeito?

Muitos vão lembrar que Resolução nº 73/98 do CONTRAN, modificada pela Resolução 254/07 "permite" a instalação de películas escurecedoras. Até permite, mas não do jeito que se pensa.

Explico: a Resolução estabelece um mínimo de 70% de transparência nos vidros laterais dianteiros. Se você verificar adescrição no vidro do seu carro, vai perceber, invariavelmente, que a transparência esta num valor bem próximo disso.

Transparências mínimas - Ilustração google imagens

Não existe no mercado nenhuma película que, somada aos vidros verdes, mantenha a transparência mínima de 70% (não importando o que o instalador, mentirosamente, diga ou coloque naquela "chancela" na hora da instalação), ou seja, você não pode usar qualquer tipo de película no parabrisas ou nos vidros laterais dianteiros, salvo aquelas do tipo anti-vandalismo transparentes.

Nos vidros traseiro e laterais traseiros, a resolução estabelece 28% de transparência mínima, o que alguns tipos de película atendem. Na prática, o que a lei permite é a instalação da película apenas nesses vidros.

Na Europa, a legislação é semelhante. Alguns fabricantes oferecem os vidros escurecidos de fábrica apenas nos vidros traseiro e laterais traseiros. Vejam a oferta do opcional para um Golf no site da Volkswagem  Portuguesa aqui clicando em "equipamento opcional".

Carro europeu com vidros escurecidos - Foto blog AUTOentusiastas

O blog AUTOentusiastas (clique no link à direita em "blogs parceiros") tem uma série de postagens sobre o assunto, com abordagens técnicas sobre as questões de conforto térmico e visibilidade, caso queiram se aprofundar no assunto.

Se você, um dos meus 17 leitores, quer manter o dito "conforto térmico", talvez por andar com crianças pequenas ou pessoas idosas (que geralmente ocupam o banco de trás), faça ao menos o seguinte: retire a película dos vidros laterais dianteiros. Você ganhará em visibilidade e ficará dentro da Lei. E, ainda, se a questão for estética: que tal um carro com visual Europeu?

Conclusão: eu retirei não só a película dos vidros dianteiros, mas de todos os vidros. Por R$ 40,00 uma loja de acessórios as retirou sem danificar os filamentos do desembaçador traseiro. E querem saber? Além da visibilidade garantida, meu Civic ficou muito mais elegante com os vidros verdes originais!

Um forte abraço e até a próxima!

Bruno Hoelz

14 comentários:

  1. Prezado Bruno,

    Sei que o tema não guarda pertinência com a presente postagem, mas o que você achou da notícia, publicada hoje no portal G1, a respeito do decepcionante desempenho do HB20 no teste de impacto realizado pela LATINCAP?
    O HB20 realmentente é muito marketing e pouca inovação?

    Segue abaixo o link da reportagem: http://g1.globo.com/carros/noticia/2013/03/latin-ncap-testa-impactos-no-hyundai-hb20-e-no-ford-ecosport.html.

    Att.,

    Carlos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Prezado Carlos,

      Sem problemas em comentar fora do assunto, será sempre bem vindo!

      De fato esperava-se que um projeto novo, como é o caso do HB20, fosse melhor nos testes de impacto do LATIN NCAP.

      Veja que alguns de seus concorrentes que também gozam de projetos recentes, como o Toyota Etios e o Ford New Fiesta foram "quatro estrelas" no mesmo teste.

      O que de fato chamou atenção foi a pontuação de somente uma estrela para a segurança de crianças, mesmo contando com o ISOFIX de série.

      O marketing da Hyundai, de uma maneira geral, é bastante agressivo. Afinal, sabemos que não se tratam dos melhores carros do mundo, como algumas peças publicitárias apregoam.

      Porém, estão longe de serem ruins, pelo contrário. Foi-se o tempo em que carro coreano era sinônimo de má qualidade, fenômeno semelhante ao experimentado pelos chineses hoje.

      Os Hyundai - e o HB20 - são bons carros, mas a concorrência também oferece bons produtos. E, sinceramente, carro não é só um amontoado de gadgets ou um desenho bonito.

      Um forte abraço!

      Bruno Hoelz

      Excluir
  2. Parabéns pelo blog. Para quem não conhece nada ou pouca coisa sobre carros, está sendo de grande ajuda.Desejo ter meu primeiro carro, mas não sei qual marca optar. Gostaria de unir conforto (para minha família), velocidade (adoro correr) e manutenção acessível. Qual deveria escolher? Gosto muito de Honda e Volks.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Anônimo das 12:50,

      Obrigado pelo comentário!

      A principal diferença entre as duas marcas é que, na Honda, os preços começam em R$ 47.000,00 e, na VW, um Gol simples custa pouco mais de R$ 22.000,00.

      Sem saber sua disponibilidade financeira é difícil dar um palpite.

      Se o Honda Fit couber no orçamento, considere-o como opção. É um carro versátil, espaçoso e o motor 1.4 da versão mais barata é bastante valente.

      Quanto a manutenção em em concessionária a Honda dá um banho. Os preços das revisões chegam a ser mais baratos que a de alguns carroos populares e os carros simplesmente não dão oficina.

      Como experiência pessoal, acabei de vender um Honda Civic 2007 com 120.000 km rodados em que só fiz manutenção preventiva. Os custos ficaram equivalentes ao meu antigo carro, um GM Corsa 1.8.

      Um forte abraço!

      Bruno Hoelz

      Excluir
  3. Já que não comentaram sobre as películas, vou dar minha opinião! :-)

    Particularmente, acho muito mais bonito um carro sem película. O interior do carro possui sua beleza e deve ser apreciada assim como a parte externa. Minha escolha, seria sem película.

    Uso sim no meu carro, basicamente por dois motivos, os mesmos citados no texto. Com total certeza, o uso da película filtra mais os raios solares, diminuindo o calor interno. A segurança em si, concordo totalmente com o que falaste, varia muito o ponto de vista.

    Numa garagem a noite, a segurança diminui porque a visibilidade é menor, já por outro lado, se alguém mirar teu carro pra te abordar enquanto você espera o sinal abrir, vão pensar duas vezes antes de apontar a arma para o vidro do carro, sem saber o que ou quem está dentro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Anderson,

      Obrigado pelo seu comentário! De fato achei que esta seria a postagem mais comentada...

      Uma pena morarmos em um país em que temos de abrir mão da segurança da maior visibilidade para nos sentirmos mais seguros em relação a assaltos.

      Um forte abraço!

      Bruno Hoelz

      Excluir
  4. Esteticamente também prefiro bem mais o veiculo sem a película, mas em questão de segurança, durante a noite me sinto mais seguro sabendo que quem esta fora não enxerga o interior.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu perticularmente penso que a segurança de enxergar é mais importante que a segurança de não ser enxergado. Porém, não moro num grande centro e entendo as motivações de quem opta pela película.

      Abraço,

      Bruno Hoelz

      Excluir
  5. Bruno, parabéns pelo post, muito bom.

    Sobre a questão de segurança, gostaria de compartilhar uma pergunta para receber opiniões:

    - No caso de tentativa de sequestro relâmpago, os bandidos irão preferir abordar um carro com ou sem película?

    Penso que no caso do carro sem película, outras pessoas poderão ver o que está ocorrendo dentro do carro e eu também teria a chance expressar algo que alertasse sobre o sequestro. Imagino que geralmente os bandidos atuem no mínimo em dupla, assim 3 pessoas no carro já geraria uma situação suspeita para um policial, por exemplo. Enquanto que no carro com película, os bandidos teriam total privacidade sobre o interior.

    Qual a sua opinião?

    Abraços,

    Eduardo Y.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Eduardo, agradeço o elogio!

      Apesar de não ser especialista em segurança, concordo com você . Penso que, com o interior do carro visível a segurança é maior.

      Volta e meia somos supreendidos com a triste notícia de que algjuém foi baleado em seu próprio carro, quando sequestrado por bandidos em fuga.

      Por analogia, os prédios residenciais nas grandes cidades sempre usam grades ou mesmo vidros em lugar de muros. penso que a intenção é a mesma.

      Abraços,

      Bruno Hoelz

      Excluir

Seu comentário é bem vindo!